Mais de 20 participantes de reality shows dos EUA cometeram suicídio, diz estudo

Um estudo encomendado pelo jornal americano "NY Post" mostrou que pelo menos 21 participantes de reality shows nos Estados Unidos cometeram suicídio nos últimos 12 anos.

A última vítima Alexa McAllister, de 31 anos, que se matou no mês passado. A americana participou do programa "The Bachelor" e foi a segunda integrante do reality a cometer suicídio. Sua colega de programa Gia Allemand se enforcou em 2013.

De acordo com o Dr. Richard Levak, especialista em reality shows, é difícil saber o que leva os participantes às medidas extremas. "Será que aparecer na TV atrai pessoas com maior taxa de instabilidade? As pessoas instáveis são mais interessadas nisso ou aparecer na TV precipita as pessoas a se matarem?", questiona o psicólogo em entrevista ao jornal.

Na estatística levantada pelo estudo entram participantes de programas famosos, como "MasterChef" e "The Voice". Muitas vezes, a exposição é massacrante. "Muita gente tem problemas com o que vem depois de aparacer na TV", comentou Eliza Orlins, que participou de "Survivor", uma espécie de "No Limite".


Apesar dos dados alarmantes, Richard Levak acredita que o número de suicídios entre ex-participantes de reality shows pode crescer. "Eu posso garantir que existem outras pessoas que não querem viver mais", disse o psicológo. "Aí eles olham Alex e Gia e pensam 'a dor deles acabou, posso fazer o mesmo'", explicou o médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário