Ex-médico faz revelações que chocam sobre Michael Jackson

Conrad Murray, ex-médico particular de Michael Jackson, fez polêmicas declarações na tentativa de provar que tomava conta do 'Rei do Pop' com todo o cuidado possível.

O profissional da saúde, inclusive, chocou com uma de suas afirmações: “Michael não sabia como colocar uma camisinha, então eu tinha que fazer isso para ele”, garantiu ao 'Daily Mail'.

Segundo Conrad, por conta de uma incontinência urinária ele tocava o órgão genital do astro todas as noites para ligar um cateter - tubo que leva a urina a um recipiente - ao pênis de Jackson. O preservativo fazia parte do equipamento.

'Ele usava calças escuras, pois depois de ir ao banheiro, ficava respingando por horas', revelou.

Procurando se livrar das acusações de ter sido negligente com o cantor, Murray disse ainda que foi uma das únicas pessoas em quem o artista confiou no fim da vida, e que fez tudo para salvá-lo.

'Eu não matei Michael Jackson. Ele era um viciado em drogas. Foi Michael Jackson quem matou acidentalmente Michael Jackson', disparou.

Conrad Murray foi condenado por homicídio culposo (involuntário) no falecimento do astro da música em 2009. Ele foi libertado da prisão em outubro de 2013, após cumprir dois anos da sentença, de quatro anos de detenção.


Michael Jackson morreu aos 50 anos no dia 25 de junho de 2009. Na ocasião, o cantor ensaiava para a turnê 'This is it', que começaria em Londres, na Inglaterra. (Portal R7) 


Nenhum comentário:

Postar um comentário